Gestão do Capital Natural

Os recursos naturais são elementos indispensáveis para nossas vidas, sendo responsáveis pelo o que comemos, bebemos, vestimos, calçamos, moramos, etc.

Tudo que nos rodeia, dentro de casa e fora delas, é oriundo da natureza. Todos os compostos que nos valemos para construirmos as cidades onde moramos e transitamos são advindas de recursos naturais, ou seja, todos os elementos e materiais que possuem utilidade para o modo de vida da sociedade e que são disponibilizados pela natureza.

Esses recursos naturais podem ser divididos em Renováveis e Não renováveis, onde o primeiro engloba aqueles que podem ser recuperados em um curto espaço de tempo e que estão disponíveis abundantemente, como por exemplo a energia solar, o vento e a água.

Já os não renováveis englobam os elementos que possuem uma taxa de regeneração muito abaixo da sustentabilidade necessária dada o seu grau de consumo. O grande exemplo que temos hoje é o petróleo, que é largamente utilizado por diversos setores da indústria em todo o mundo, e sua regeneração leva milhares de anos, fazendo com que ele não seja reposto na mesma taxa que é consumido.

Os recursos naturais dispostos na natureza têm valor econômico, dada a observância de que eles serão aproveitados no futuro. Assim, acabam por se tornar um capital, ou seja, um ativo econômico social, ainda que natural.

Chegamos, assim, no capital natural. Vamos avançar agora no entendimento do que é o capital natural.

 

O que é Capital Natural?

Capital natural é considerado o estoque de recursos naturais disponíveis na natureza que possuem extrema serventia para nós, como a água, flora, fauna, solo e ar. Todos esses recursos fazem parte dos processos industriais e de serviço.

São muitos os segmentos que dependem diretamente do uso de recursos naturais para a produção de determinados produtos ou até mesmo para alguns serviços. Ou seja, os recursos naturais são considerados fundamentais no processo e o seu valor faz toda a diferença para a empresa.

Desse modo, o capital natural pode ser considerado também pelo valor dos recursos naturais que são necessários para o desenvolvimento das atividades produtivas dos países

Vale lembrar que é extremamente importante que a utilização desses recursos naturais, que podem ser renováveis ou não renováveis, deve ser feita de forma consciente e sustentável a fim de manter o equilíbrio ecológico indispensável para a manutenção do meio ambiente.

Além disso, usar os recursos naturais de maneira consciente e inteligente também assegura a disponibilidade do mesmo por mais tempo e em maior quantidade, o que é fundamental para a continuidade dos processos econômicos, tendo em vista a segurança da prosperidade desses recursos.

Como fazer a gestão do capital natural

Agora que já entendemos o que é o capital natural e a sua importância, vamos ver como realizar a gestão do mesmo.

Para isso, é necessário pensar em todos os processos envolvidos na produção de uma empresa, a fim de listar quais são os recursos naturais necessários nas etapas produtivas.

A partir disso, o empresário já pode se precaver, visando a garanta de que os recursos utilizados não acabem e/ou passem a ser escassos. Assim, assegura-se a produção no futuro, conferindo sustentabilidade ao processo.

Verificar a quantidade do recurso natural utilizada nos processos produtivos é vital para torná-los mais eficiente, pois obrigatoriamente se levará em consideração os mecanismos baseados em realizar o mesmo produto ou serviço utilizando menos capital natural. Isso irá contribuir fortemente para o uso consciente do recurso.

 

Outro ponto importante é compreender quais são os riscos em relação a esse recurso. Ele é limitado ou ilimitado, ou seja, é considerado um recurso não-renovável ou renovável? Em quanto tempo é possível que vire um recurso escasso? São questionamentos necessários para se avaliar não só a sustentabilidade de um projeto, como também do ciclo de vida daquele recurso, entendendo melhor sobre esse capital natural.

Tudo isso é fundamental para ter um bom panorama de todo o processo de produção e estocagem do recurso, ou seja, o capital natural. Esses dados dispostos em relatórios e planilhas são importantes para se manter o controle de toda a situação.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *